Cerejeiras do Parque do Carmo- 2016

Mais uma vez, fui ver as cerejeiras do Parque do Carmo, e estavam lindas! Achei um pouquinho menos florido do que ano passado, mas bem bonito mesmo assim. É um evento muito cheio, e como havia dito anteriormente, fica super longe da minha casa, mas valeu a pena. O melhor mesmo é tentar vê-las fora dos dias em que acontece a festa, mas óbvio, que daí você vai perder as apresentações, as comidas, etc.

Comi um dorayaki (uma espécie de panquequinha recheada com pasta de feijão azuki) e me lembrei de um filme japonês que vi, chamado Sabor da Vida, em que uma senhorinha ensina sua receita de pasta de feijão para um confeiteiro que vende dorayakis. É um filme um pouco lento, mas muito doce. E tem as cerejeiras nele também!

maxresdefault

A cultura japonesa me encanta! A penúltima foto é de um doce feito de flor de cerejeira! Não comi, mas achei super diferente.

IMG_7952

carol1

IMG_7967

IMG_7927

IMG_7979

IMG_7988

IMG_7965

IMG_7914

IMG_7949

IMG_7926

IMG_7970

28220530493_13f18bc1ca_o

Festival das Cerejeiras- Parque do Carmo

Você sabia que a segunda maior plantação de cerejeiras, fora do Japão, fica aqui em São Paulo ( a primeira está em Washington/EUA)? Pois é, eu também não sabia, até neste fim de semana, quando fui ver a florada destas árvores tão lindas, no Parque do Carmo. São milhares de cerejeiras, plantadas nos anos 70 em comemoração à imigração japonesa, que florescem por apenas alguns dias todos os anos.

A arte de apreciar as flores das cerejeiras é chamada de hanami, um ritual levado a sério pelos japoneses, que se reúnem nos parques para contemplar a florada. No Parque do Carmo, há 37 anos acontece o Festival das Cerejeiras, com apresentações da comunidade japonesa, comida típica, e o hanami.

2015-08-01 12.49.03

Conta a lenda que a cerejeira, chamada sakura pelos japoneses, nasceu da princesa Konohana Sakuya Hime, que teria caído dos céus perto do Monte Fuji, e se transformado nesta flor. Fofo, né?

O parque fica na zona leste, e é bem longe de onde eu moro, então fiz uma pequena viagem pra chegar lá. Tá, não exatamente uma viagem, rs, mas tivemos que percorrer toda a linha vermelha do metrô, até o ponto final ( Itaquera), e de lá, pegamos um ônibus que nos deixou no parque. É preciso considerar que o trânsito pra chegar no parque estava monstruoso, e só não caímos nele por que o motorista do ônibus cortou caminho.

Ah, e apesar da prefeitura ter disponibilizado um ônibus para levar as pessoas do metrô para o parque, tudo indica que pegamos o ônibus errado, um comum de linha mesmo, que ficou completamente lotado, com mil crianças dentro, berrando, e nos traumatizou fortemente. Haha, perrengue totalmente desnecessário!

IMG_4040

Ainda assim, a beleza das cerejeiras compensou a distância, é muita flor ao mesmo tempo, gente! Tiramos muitas fotos por lá, por que o cenário é perfeito. O único problema, claro, é que o parque fica muito cheio, então é difícil de arrumar um pedacinho de chão pra sentar. Também não fomos nas barraquinhas típicas, por que estavam lotadas. E a dica que dou em praticamente todos os eventos da cidade permanece, esteja preparado para enfrentar a multidão, e seja paciente!

Vou deixar as fotos falarem por mim! Tem fotos tiradas por mim, e outras lindas tiradas pela Nati, minha amiga, responsável pelo layout do blog, por tantas fotos maravilhosas que já apareceram aqui, e por ser minha partner in crime nos programas de fim de semana, haha!

IMG_4035

IMG_4075

IMG_4038

IMG_4077

Fotos da Nati!

IMG_9006 copy

IMG_9018

IMG_9025 copy

2015-08-05 20.55.34

IMG_9082 copy

COMO CHEGAR:

Avenida Afonso de Sampaio e Sousa, 3261 – Itaquera

( lembrando que as cerejeiras só florescem uma vez ao ano!)