Rent!

O musical Rent foi certamente um marco na Broadway, e desde a sua estréia, em 1996, rendeu outras muitas montagens, e até um filme, feito em 2005, com quase todo o elenco original do teatro. Jonathan Larson foi o responsável pela criação de Rent, baseado na ópera La Boheme, de Puccini, trazendo a tona temas como AIDS, drogas, homossexualidade e o desemprego.

20170110_233749_32212727756_o

20170110_205125_31440920003_o

A nova montagem de Rent estreou aqui em SP no Teatro Frei Caneca, e nasceu de um esforço coletivo entre vários atores de teatro musical, encabeçados por Bruno Narchi, que queriam participar do projeto, e colocá-lo nos palcos. E o resultado disso ficou muito, muito bom! Acho que apesar do assunto da AIDS ter envelhecido consideravelmente, a música ainda permanece atual, e a amizade entre os personagens também. Talvez você nem saiba, mas já deve ter ouvido algum trecho da famosa Seasons Of Love, que praticamente virou o tema de Rent.

Não deixem de assistir, é lindo e bem tocante! Rent está em cartaz no Teatro Frei Caneca ate de 01 de março.

 

My Fair Lady

Há algumas semanas, fomos assistir ao musical My Fair Lady, que está em cartaz no Teatro Santander, e foi lindo! Este musical é uma adaptação da famosa peça “Pigmaleão” de Bernard Shaw, e deu um trabalhão para ser adaptada ao formato do teatro musical, vindo a estrear na Broadway em 1956, com Julie Andrews no papel de Eliza Doolittle e Rex Harisson como Prof. Higgins. As músicas viraram hits na época, e o espetáculo ganhou o Tony de melhor musical naquele ano.

daniele-nastri-paulo-szot-e-eduardo-amir_foto-joao-caldas-f-_248520press_1-jpg

paulo-szot-e-daniele-nastri_foto-joao-caldas

Posteriormente, em 1964, foi feito o filme da mesma história, com Audrey Hepburn no papel de Eliza (dublada nas canções por Mani Nixon), e o mesmo Rex Harrison como Higgins. Neste ano, eles levaram oito Oscars pra casa! Deu pra perceber que My Fair Lady é um sucesso, não é?

Mas vamos a história, de forma bem resumida: Henry Higgins é um professor de fonética da alta sociedade londrina, que se orgulha de conhecer toda e qualquer espécie de sotaque apenas ao ouví-lo, identificando inclusive a origem da pessoa, e numa noite qualquer, encontra Eliza Doolittle, uma pobre florista que vive nas ruas de Londres. Ele fica horrorizado com a forma como Eliza fala, e aposta com o amigo Pickering, que conseguiria transformá-la em pouco tempo numa dama.

634748-940x600-1

© Joao Caldas Fº

Nesta montagem de Jorge Takla, quem faz o papel de Higgins é Paulo Szot, um cantor lírico brasileiro que fez toda sua carreira no exterior, e inclusive ganhou um Tony, pelo musical South Pacific. Este é o primeiro musical que ele faz no Brasil, e claro que, ele é a grande estrela da produção. E de fato, ele é maravilhoso! Daniele Nastri faz Eliza, e de uma forma bem doce, adorei ela. Os cenários são super bem feitos, e o figurino é deslumbrante. A cena do baile, e da corrida de cavalos é de cair o queixo, de tão luxuosa.

ARQUIVO 24/08/2016 CADERNO2 / CADERNO 2 / CAD2 / CAD 2 / C2 / C 2 - Daniele Nastri no musical My Fair Lady, dirigido por Jorge Takla. Foto João Caldas Filho

Acredito, no entanto, que por ter sido adaptado de uma peça de teatro, o musical seja um pouco cansativo, pois são muitas e muitas falas, e só depois é que vem a música. Na primeira parte, nos divertimos bastante, e tocaram as principais músicas. Já após o intervalo, o texto parecia arrastado, e deu até um pouco de sono, coisa que nunca aconteceu comigo antes em musicais anteriores. Outro ponto que destaco aqui é que, não se trata de uma história de amor propriamente dita. Existe um sentimento que nasce entre Higgins e Eliza, mas é muito sutil, e durante a maior parte da peça, ele a trata bem mal. O foco, na verdade, está na diferença de classes, e entre homens e mulheres na Londres do século passado.

20161002_215357_29783238810_o

20161002_195304_30076051485_o

Como disse minha amiga Nati, este é um musical para os fortes! Mas é um clássico belíssimo mesmo assim, e as músicas são tão boas, que viraram grandes canções populares.

Por fim, uma palavrinha sobre o Teatro Santander. Ele é novíssimo, e fica colado ao shopping JK Iguatemi. Os lugares todos parecem ter uma visibilidade ótima, ficamos no balcão nobre, e vimos perfeitamente. Mas o que eu mais gostei foi do som perfeito, sem ruído, sem nada! As vezes, em alguns musicais, a gente não consegue entender direito o que os atores cantam em certas partes, ou quando falam mesmo, e neste teatro o som é limpo e claro demais.

Aqui, um vídeo do youtube Cena Musical, com a famosa canção “I could have danced all night” (traduzida para “Agora eu vou dançar”):

Informações:

My Fair Lady

em cartaz no Teatro Santander até 06 de novembro

ingressos em: ingressorapido.com.br